Kindle Unlimited: opinião de leitora



Justamente poucos dias antes de iniciar a Semana do Consumidor aqui no Brasil, decidi que trocaria todos (ou quase todos) os meus livros por ebooks. A decisão foi difícil e demorada, mas acabei levando em consideração que os prós eram bem significativos (maior mobilidade da biblioteca, menos espaço gasto e menos livros para limpar), de tal forma que quando a Semana do Consumidor iniciou, comprei um monte de ebooks por preços realmente competitivos. Por exemplo, eu queria comprar três livros físicos de sagas diferentes, cada um deles custava entre 30 e 40 reais, eu paguei QUASE 40 reais nos três nessa semana (em valores promocionais)! Ou seja, ao invés de gastar quase 120 reais, gastei 40 e consegui os livros que queria sem ter que me preocupar com espaço, demora de entrega ou ter que limpá-los depois. *good feelings*

Foi aí que a Amazon anunciou que faria uma promoção do Kindle Unlimited - 3 meses por R$ 1,99. Sim, apenas R$ 1,99 por um acervo bem extenso de livros em português, em inglês, em francês, em espanhol e por aí vai. O problema é que apesar da intensa variedade, são poucos os livros que realmente têm boa qualidade - em relação à revisão, diagramação e o próprio conteúdo. Além disso, apesar de prometerem certa rotatividade, desde que ingressei no KU não houve ou não reparei nenhuma mudança no acervo. 

O valor normal do serviço é R$ 19,90 por mês (+ impostos, se aplicável). Se houvesse devida rotatividade e maior qualidade no acervo, o Kindle seria o melhor programa de "empréstimos" do planeta. Entretanto, essas falhas condenam o sistema - depois de 3 meses, tenho certeza absoluta de que não vou permanecer na assinatura e não voltarei a ser um cliente tão cedo. 

Se você só gosta de ler, sem muito filtro, e gosta de viver aventuras pegando autores, livros e assuntos aleatórios para testar, o Kindle pode ser uma ferramenta interessante, afinal, como eu disse, tem muitos títulos e as temáticas são bem variadas. Para quem curte autor nacional, ele pode ser uma mina de ouro, já que disponibiliza ZILHÕES de obras nacionais, desde de livros de autoajuda até romances eróticos. 

O serviço de busca de acervo não é muito bom - é confuso, desgastante e mostra títulos que não estão disponíveis no KU. Entretanto, depois da saga de buscar, o restante do processo é bem simples. Você seleciona o livro (como se fosse comprar) e clica em "Ler de graça", daí o livro já é enviado automaticamente para a sua conta KU. Esses arquivos podem ser lidos pelo computador, pelo próprio Kindle e pelo aplicativo da Kindle (que pode ser baixado em Android, iOS e Windows Phone), ou seja, tampouco é obrigatório ter um aparelho Kindle.

Assim que você entra no aplicativo ou no site ou no seu Kindle, tendo acesso à internet, o download é feito automaticamente e tchazam - o livro já está disponível para leitura. Você pode "pegar emprestado" até dez volumes diferentes. Para pegar outros títulos, basta devolver algum que você tenha pego, para tanto, é só entrar em sua conta KU e clicar em "Devolução" ao lado do livro. Em sua conta KU, ficam registrados todos os livros que pegou emprestado (os que devolveu e os que ainda estão com você).

Tem algumas vantagens, mas ainda não acho que o valor seja adequado ao serviço prestado e, salvo as ressalvas que fiz anteriormente, não vejo razão para assinar. 


Sorologia da Raiva de cachorros




Pois é. Lá vem essa história novamente - mas adivinhem: tem muita gente com dúvida nisso, então atura ou surta

Se você tem um doguinho e pensa em viajar para fora da América do Sul com ele, este post é importante para você. Mas por quê? 

Bem, existe uma série de regras para viajar com seu cachorrinho de avião e, para países fora da América do Sul (e alguns outros locais) que já tiveram a raiva erradicada, você, portador do doguinho, precisa provar que ele está devidamente imunizado. 

NESTE POST falei sobre outra regra imprescindível e que deve ser realizada ANTES da sorologia: a implantação de um microchip. Ele é menos dolorido que uma tatuagem e mais seguro também.  

Agora, vamos entender esse processo e também falar um pouquinho sobre a minha experiência.

Criando Hábitos Saudáveis: Parte 1



Parte dos meus exercícios de inglês inclui assistir filmes legendados em inglês. Quando me sinto cansada e acho que posso desistir se a missão estiver muito difícil, escolho um filme que já vi e que, portanto, posso usar a colinha da memória em português.

Hoje escolhi rever "O mínimo para Sobreviver". Sim, uma escolha complicada. O filme fala sobre distúrbios alimentares, tendo como personagem principal uma jovem anoréxica. É a terceira vez que vejo esse filme e, todas as vezes, minha mente voou para uma lembrança da minha própria vida. 

Antes que eu conte qual é a lembrança, no entanto, preciso adiantar algo da história do filme - não veja isso como spoiler -: a garota não come porque se sente culpada por algo que a sua visão de vida desencadeou. Era apenas um desenho, uma percepção, mas para outra pessoa significou muito mais. Meu caso foi bem diferente, mas acho que vale contar, porque, afinal, de alguma forma passamos por dores parecidas. 

Então, senta aí que lá vem história!

Li e Indico: Sarah Maclean



Não lembro como cheguei nessa digníssima moça, mas ela me fez ter uma série de ressacas literárias incrível. Todos os livros que li por enquanto de Sarah Maclean são romances de época adultos, bem do estilo da Julia Quinn, Lisa Kleypas, Madeline Hunter... essas minhas queridinhas!

O primeiro trio foi a série "Os Números do Amor", que abre uma linha sucessiva de romances. Tenha cuidado e comece por eles se não vai perder muito das jogadas de personagens que a autora faz. 


O primeiro livro cheguei a falar separadamente aqui no blog. O link é esse AQUI! Calpúrnia, a mocinha deste livro, acabou sendo a minha predileta dos três, apesar de eu ter adorado a Isabel (do segundo) e a Juliana (do terceiro). Eles foram publicados pela maravilhosa Editora Arqueiro e estão com um preço meio salgado por enquanto, mas acredito que é só aguardar para voltar ao preço padrão da editora.

Sarah aposta em mocinhas engraçadas, corajosas e independentes, o que, sem dúvida, é o diferencial de seu trabalho. Os moçoilos  Os mocinhos são meio clichês, mas quem não teve uma batida errática por algum tempo que jogue a primeira pedra. 

Dá para ler um por dia sem problemas e surtar para ter a continuação! A segunda série que li foi "O Clube dos Canalhas", que, em termos cronológicos, é o próximo na sucessão de fatos acontecidos na primeira série. Apesar de eu ter adorado "Os números do amor", esta segunda série é e provavelmente sempre será minha favorita. 



Esta série foi publicada pela Editora Gutenberg, mas não perde em nada em termos de cuidado com a capa e com a edição em geral. A diferença é que o estilo dessa série ficou mais semelhante com o original, o que eu achei bem legal de certa forma, pois não esconde minimamente as origens "de banca". 

Apesar da primeira série ser maravilhosa, esta é a melhor sem dúvidas. Os quatro livros giram em torno do grupo de canalhas que administram o clube de jogos mais queridinho do 'submundo'. Cada canalha é mais engraçado que o outro e carregam consigo um contexto mais complexo que os mocinhos anteriores. 


A terceira e última série de Sarah até o momento é 'Escândalos e Canalhas'. Eu li e me apaixonei demais pelo primeiro livro (qualidade quase semelhante à da primeira série), comecei o segundo, mas não estou gostando e isso me dá um pouco de tristeza, devido à linda história de ressacas que criamos. Eles foram publicados pela Editora Gutenberg e o terceiro volume ainda não chegou ao Brasil. 

De toda forma, é aquele tipo de livro que entretém e relaxa, super válido para aquele dia frio ou para aquele momento que você quer um final feliz. <3 p="">


Minha experiência com Aliexpress




O Grupo Alibaba foi fundado em 1999 na China por Jack Ma, o cara que não foi selecionado para trabalhar em um fast food, mas que hoje possui bilhões de dólares em seu bolso. É a vida. Neste ano, a marca Alibaba foi eleita a terceira maior e mais influente marca chinesa, sendo vencida apenas pela Lenovo e Huawei. 

O Aliexpress é um bebê do Alibaba e o paraíso para pessoas que gostam de comprar suas coisas, mas que tentam economizar. A primeira coisa que precisam saber sobre o Aliexpress é que nem tudo que reluz é de ouro, então não se deixe levar pelos preços mais baratos e nem compre meio mundo porque vai dar zebra. A segunda coisa é que você deve ser um consumidor paciente ou vai infartar na primeira compra. 

Dito isto, contarei sobre as MINHAS experiências com compras no Aliexpress. Preciso salientar que nem todas as pessoas tiveram a mesma história que eu e com você pode ser diferente (tanto dessas pessoas quanto de mim). Cada caso é um caso! Mas vamos lá...
 
Blog © Desenvolvido por Gabi Mello e Liliana Lacerda
voltar para o topo