Produtinhos que uso/usei para cuidar de Lola


Vocês já conhecem a Lola, minha filhinha de quatro patas. Quando era bebê, passamos por uma fase difícil, mas guerreira como sempre, Lola venceu essa batalha. 

Acontece que a cadelinha que carregou Lola no ventre não recebeu os cuidados corretos durante a gravidez, o que fez com que sua imunidade baixasse e ela ficasse infestada de ácaros na região das mamas. Quando os bebês nasceram e mamaram, eles ingeriram aqueles ácaros. Isso resulta no seguinte: toda vez que a imunidade da Lola cai, os ácaros naturais da pele de todo cachorrinho triplicam de quantidade (isso não é bom). Esse excesso causa perda de pelo e coceira e, como os cachorros metem os dentes, acaba virando ferida. 

Por essa condição, não posso usar muitos produtos na pele da Lola e tem outros que são meio que obrigatórios. De qualquer forma, vou falar um pouco sobre minha experiência com os produtos que já usei na Lola. São eles: Sabonete Mata Cura, Frontline Spray, Bravecto, Drontal, Pasta Dental Virbac e Removedor de Tártaro Tropiclean*.

* Não usei o Removedor de Tártaro ainda na Lola até porque ela não tem placas significativas. Ele era um produto usado na minha outra cachorrinha e vou contar o efeito que fazia nela!

ATENÇÃO: NÃO UTILIZE NENHUM MEDICAMENTO SEM CONSULTAR UM PROFISSIONAL ESPECIALIZADO. SEU VETERINÁRIO INDICARÁ O MELHOR PARA O CASO DO SEU CACHORRO. ESTA MATÉRIA TEM O INTUITO APENAS DE INFORMAR MARCAS QUE FORAM TESTADAS PELA AUTORA. 

Li no Kindle: Ligeiramente Escandalosos




LEITURA NÃO RECOMENDADA PARA MENORES DE 16 ANOS

Publicado no Brasil em 2015 pela Editora Arqueiro, "Ligeiramente Escandalosos" é o terceiro volume da série "Os Bedwyns" de Mary Balogh. Nele é contada a história de amor vivida por Freyja Bedwyn que, mesmo provida de muita determinação e petulância, se vê enrolada na trama do marquês de Hallmare, Joshua, que tem uma péssima reputação.

Freyja carrega vários fardos. Ela tem o nariz típico dos homens Bedwyn, o que sem dúvida não a ajuda esteticamente, um gênio forte, a mania de usar um discurso ácido e um coração partido que a levou até os vinte e cinco anos solteira.

Durante uma viagem, que ela normalmente não faria, conhece o marquês de Hallmare, Joshua Moore. Ao contrário dela, ele é adepto de jogos emocionais, má conduta e uma terrível tendência de tomar atitudes inapropriadas. Ao menos, é o que parece.

Microchipagem de cachorros




Quem me acompanhou pelo Facebook em 2015 ficou sabendo que eu adotei uma princesa em outubro daquele ano. O nome dela é Lola e, atualmente, ela possui 1 ano e 11 meses. *-*

Lola teve uma história difícil, principalmente no que concerne aos seus primeiros nove meses de vida. Lutamos contra uma disfunção genética originária de uma doença que a mãe biológica dela passou para ela durante a amamentação. Depois de muito remédio homeopático, dietas especiais, sabonetes e reza, Lola venceu essa fase e hoje tem todos os pelinhos no lugar, nove quilos de gostosura e uma energia insuperável.

Para quem me pergunta, respondo que ela nasceu do meu coração, porque para mim, ela é minha filha e ponto. Então, quando você se sente assim, é claro que precisa tomar todas as medidas necessárias para manter seu filhote sempre por perto. Foi assim que entrou o seguinte assunto em pauta: imagina se decido viajar, o que vou fazer com a Lola? Se eu sumo um dia, a menina entra em colapso nervoso, então não rola deixar ela com meus pais por uma semana e viajar por aí. Foi assim que realizei algumas pesquisas sobre todos os pré-requisitos possíveis para levar Lola comigo em todas as viagens que eu puder imaginar. 

Para viagens nacionais, os únicos procedimentos são: atualização da carteira de vacinação e de vermifugação e atestado de saúde assinado e carimbado por veterinário responsável. Para viagens internacionais, alguns trechos e para facilitar no restante, é preciso ter um microchip inserido no dog, sorologia da raiva realizado pelo CZZ, atualização da carteira de vacinação e de vermifugação e atestado de saúde assinado e carimbado por veterinário responsável (pode adicionar um passaporte se for para a Europa, dispensando, assim, a presença de um atestado de saúde do veterinário na hora do embarque).

Das coisas que Lola não tinha, o primeiro passo dos procedimentos é a tal microchipagem, que consiste em inserir um chip no dorso do bebê cão, mais próximo ao pescoço. Esse chip contém todos os dados do dono e do bichinho, o que até facilita em consultas veterinárias ou para contatá-lo caso ele se perca, por exemplo. O microchip é da grossura de um grão de arroz e um pouco maior em comprimento. Eu considerei grossa demais a agulha que insere o treco, mas é a vida. Não tinha como voltar atrás (até porque não tem outro jeito). 

Para colocar o negócio na Lola na posição certa e com segurança, tiveram que colocar focinheira porque ela não deixava ninguém chegar perto (só mamãe) e três pessoas seguraram ela (chorei, tremi e me senti a pior pessoa do mundo). Ela sentiu algum incômodo durante, mas o local não ficou dolorido e não reclamou mais depois. 

Não são todos os estabelecimentos que realizam o procedimento e você precisa tomar alguns cuidados: 

Li no Kindle: Princesa de Papel, de Erin Watt




LEITURA NÃO INDICADA PARA MENORES DE 16 ANOS

Esse livro foi uma experiência engraçada. Estava comprando alguns livros de estudo na Saraiva quando vi a capa de "Princesa de Papel". Me apaixonei de cara como fiz com "A Rainha Vermelha". Não li a sinopse, não vi qual era editora, simplesmente optei por ler. Gosto de fazer isso de vez em quando para ter uma surpresa e, de fato, foi isso o que aconteceu.

Erin Watt, na verdade, é um pseudônimo usado por Elle Kennedy e Jen Frederick. O livro conta, inicialmente, a história de Ella - a protagonista -, mas, aos poucos, vai introduzindo histórias secundárias importantes para o desenvolvimento geral da trama. Ella é uma sobrevivente. Tem dezessete anos, faz o ensino médio durante o dia e trabalha como stripper à noite, usando uma identidade falsa. 

"Alguns adolescentes sonham em viajar pelo mundo, ter carros velozes, casas grandes. Eu? Eu quero ter meu apartamento, uma geladeira cheia de comida e um emprego estável que pague bem, de preferência tão empolgante quanto esperar cola secar." 

Certo dia, na escola, um homem chamado Callum Royal vai até o diretor da instituição e o informa que os pais de Ella estão mortos e que ele é seu tutor. Callum Royal é um homem muito rico e influente, melhor amigo de seu falecido pai, Steve. 

"Essa nunca vai ser a minha casa. Meu lugar não é no luxo. É no lixo. É o que eu conheço. É o que me deixa à vontade, porque a miséria não mente. Não está embrulhada em um pacote bonito. É o que é."

Ele consegue tirar Ella de seu emprego como stripper e de seu quartinho sujo alugado e a leva até a mansão Royal. Lá, no entanto, o que a espera é tão sujo quanto sua antiga vida. 

"Esta casa é uma ilusão. É polida e bonita, mas o sonho que Callum está tentando me vender é frágil como papel. Nada fica brilhante para sempre neste mundo."

Os filmes que gostei do primeiro semestre de 2017



Tem anos em que o cinema tá com potencial estratosférico e tem anos que... Sei lá. Acho que os dois maiores problemas com a programação cinematográfica de 2017 foram que 1) os produtores investiram muito em continuações, o que reduz conteúdo verdadeiramente novo nas telonas e 2) teve pouca variedade. 

Entretanto, depois de conferir tudo o que foi lançado até agora, selecionei dentre os filmes que já vi os que mais gostei. Não deixem de me contar também os que mais gostaram até agora e quais são os próximos filmes que verão!
 
Blog © Desenvolvido por Gabi Mello e Liliana Lacerda
voltar para o topo